Estrada dos três Rios, 741 Sala 307 - Rio de Janeiro - RJ 21 2106-1300 21 99126-7261

Item adicionado ao orçamento


Como o gravador digital de vídeo (DVR) pode trazer inteligência ao CFTV analógico

Gostou? compartilhe!

Conheça mais sobre Como o gravador digital de vídeo (DVR) pode trazer inteligência ao CFTV analógico

Como o gravador digital de vídeo (DVR) pode trazer inteligência ao CFTV analógico

Em um sistema de segurança e monitoramento eletrônico, o gravador digital de vídeo é um dos dispositivos mais importantes para garantir o sucesso do serviço prestado. Você sabe por quê?

Para começar, ele é um ótimo aliado do projeto de CFTV, porque pode ser utilizado tanto nos sistemas analógicos quanto no CFTV IP. Talvez você já saiba disso. Porém, as vantagens vão além.

Leia mais: Desvendando mitos: instalar CFTV IP é mais fácil do que você imagina

O gravador digital também pode ter funções inteligentes no sistema analógico e atender às suas necessidades. Tudo depende do modelo que você vai escolher e do uso realizado, ou seja, há vários detalhes a observar.

Para explicar melhor, neste artigo vamos apresentar o que é um gravador digital, conhecer sua função e as diferenças entre as tecnologias DVR e NVR, além de mostrar de que forma você pode agregar valor ao seu serviço. Acompanhe!

 

Gravador digital: o que é e qual a função?

Com o crescente uso das câmeras de segurança, houve a necessidade de substituir as placas de vídeo acopladas aos computadores para o armazenamento das gravações, pois essa não era uma tecnologia muito prática. Assim, surgiu o DVR — do inglês Digital Video Recorder, ou gravador digital de vídeo, como conhecemos em português.

Esses equipamentos operam sem o auxílio de um computador e são dedicados somente às conexões das câmeras. Além disso, têm um desempenho mais eficiente e seguro.

No sistema de monitoramento, a função básica do DVR é receber os eventos e executar as ações configuradas pelo administrador. Sua tecnologia permite o controle e gerenciamento de imagens em CFTV, além do disparo de alarmes sonoros ou avisos por e-mail e aplicativos. O dispositivo também pode se conectar à internet e garante acesso remoto às imagens em tempo real ou gravadas.

Atualmente, há duas tecnologias no mercado para esse equipamento: a DVR e a NVR. A seguir, vamos explicar melhor o que caracteriza cada uma delas.

Leia também: CFTV: saiba tudo sobre esse sistema

 

DVR ou NVR: entenda a diferença

De modo simples, o DVR é o gravador digital utilizado em projetos de CFTV analógico. Enquanto isso, o NVR é adotado no CFTV IP.

Ambos possuem funções inteligentes. O que determina essa questão é a performance das tecnologias DVR e NVR. Portanto, é importante saber que ambos os modelos de gravadores têm a mesma finalidade.

A diferença é que, em um projeto de CFTV analógico, as inteligências de vídeo estão no DVR, em vez de estarem nas câmeras. Assim, as imagens são transmitidas por cabo coaxial e transformadas em dados de computador pelo gravador.

Já o NVR é um sistema digital. Por isso, as câmeras capturam as imagens e codificam e processam os vídeos, transformando-os em dados. A partir disso, eles são transmitidos para o sistema de armazenamento.

Essas diferenças ainda podem estar pouco claras. Por isso, separamos a explicação completa a seguir para tirar todas as suas dúvidas. Confira.

 

Gravador DVR

O gravador DVR é um dispositivo para gravação de imagens de câmeras analógicas em formato digital. Em um sistema CFTV, o gravador recebe os sinais das câmeras em formato analógico e os converte para o formato digital antes de gravar e enviar pela rede.

Principais características dos DVR Intelbras:

  • Possuem conexão direta via cabo com cada uma das câmeras de segurança do sistema de monitoramento;
  • São compatíveis com 5 tecnologias de imagem diferentes (Multi HD®): HDCVI + AHD + HDTVI + analógica + IP
  • Enviam notificações dos eventos de alarme a um aplicativo;
  • Oferecem excelente custo-benefício, com possibilidade de adaptar o projeto às suas necessidades.

Com um DVR inteligente, você tem um sistema de segurança  analógico inteligente, ou seja, algumas funções avançadas estarão disponíveis graças a esse tipo de gravador digital.

 

Gravador NVR

Gravadores NVR – sigla para Network Video Recorder – gravam imagens de câmeras IP. Podem ser instalados em praticamente qualquer lugar, sendo necessária apenas uma conexão com a rede WLAN na qual as câmeras estão instaladas.

Principais características do gravador NVR:

  • Alta capacidade de processamento e desempenho, com gravação de imagens e vídeos em máxima resolução; 
  • Maior capacidade de throughput em comparação com o DVR, ou seja, suporta maior tráfego de dados provenientes das câmeras IP;
  • Dispensa a conexão direta com a maioria dos cabos das câmeras, pois o processamento de imagens é realizado na própria câmera IP, que envia as imagens para o gravador via cabo Ethernet. Ou seja, os gravadores e as câmeras PoE (Powered over Ethernet) precisam de apenas um cabo, que passa imagem e alimentação de energia;
  • Envia fotos e vídeos para endereço de e-mail ou servidor FTP quando um evento pré-configurado ocorrer;
  • Pode funcionar como backup do DVR – e de outros NVRs –, proporcionando mais segurança ao armazenamento;
  • É menos suscetível a surtos de tensão via cabeamento, quando o NVR é PoE. Isso porque é conectado a apenas um cabo.

Esse sistema ainda está em crescimento e traz vários benefícios e funções. Por isso, deve ser o modelo mais utilizado daqui a algum tempo.

Leia mais: Câmera com reconhecimento facial: conheça essa tecnologia

 

DVR com funções inteligentes

O gravador digital DVR com funções inteligentes oferece os mesmos recursos dos NVRs. Alguns deles são:

  • Detecção inteligente, diferenciando pessoas de veículos. Assim, fica mais fácil encontrar o que se procura em meio às várias horas de gravação;
  • Otimização de espaço no HD, porque permite armazenar somente as imagens de veículos e pessoas. Por exemplo, os vídeos sem movimento são descartados, o que reduz a quantidade armazenada;
  • Reconhecimento facial embarcado, que permite comparar as faces gravadas com um banco de dados para saber quem é a pessoa que aparece no vídeo;
  • Evolução das inteligências de vídeo, que facilitam a definição de linhas e cercas virtuais, para evitar a emissão de alarmes desnecessários.

Todas essas características já são interessantes e úteis para o dia a dia. Especialmente, porque garantem a máxima segurança e facilitam o trabalho de vigilância.

principal função diferenciada do DVR inteligente é o reconhecimento facial. Afinal, já existe um banco de dados de faces cadastrado diretamente no gravador. Com isso, ele informa quem a pessoa é em apenas meio segundo.

Ainda é possível programar alertas ou o disparo de um e-mail e pop-up na tela do técnico de segurança que está monitorando, caso determinado indivíduo seja identificado.

Outras possibilidades envolvem programar o início da gravação a partir do reconhecimento de face e a configuração de um banco de dados em que ficam definidas quais faces são permitidas e quais não são. Desse modo, qualquer pessoa não autorizada que entre no local gera um alerta.

Para completar, aqui estão mais vantagens: 

  • Fácil instalação;
  • Economia, já que tende a ser mais barato do que um projeto de CFTV IP. Portanto, é possível ter funções inteligentes por um preço mais baixo, de acordo com a configuração desejada;
  • Inteligência embarcada no próprio DVR. Vale lembrar que no IP é preciso ter várias câmeras inteligentes, porque elas é que têm os recursos avançados;
  • Adaptação do DVR inteligente da Intelbras com qualquer tipo câmera analógica, inclusive as de outros fabricantes;
  • Seleção de gravações completas ou somente do momento quando carros e/ou pessoas passarem. Além disso, pode definir o horário do dia que as imagens devem começar;
  • Busca inteligente, que permite refinar a busca e selecionar somente as gravações com veículos ou pessoas;
  • Busca forense, que utiliza metadados e permite delimitar os parâmetros da busca. Assim, em modelos de DVR que possuem esse recurso, é possível fazer uma pesquisa muito mais rápida.

 

Como ter um armazenamento correto das imagens

O DVR com inteligência artificial exige um armazenamento correto para que todos os recursos sejam utilizados de forma adequada. O procedimento é feito por meio do HD.

Porém, não é indicado utilizar um dispositivo voltado para computadores. Apesar de ser mais barato, não oferece o mesmo desempenho. Isso coloca em risco todo o projeto de CFTV.

Afinal, é necessário garantir um armazenamento com alto volume de escrita. Dessa forma, você tem acesso ao melhor gerenciamento de imagem e uma capacidade de armazenamento alta, de até 18 Tb.

Para isso, existe o HD WD Purple, da Intelbras. Eles são feitos especificamente para o funcionamento em CFTV. Portanto, evitam a perda de imagens que ocorrem com o uso de discos rígidos comuns para PC.

Essa já é uma vantagem, mas existem outras. Entre elas estão:

  • Operação 24 horas por dia, 7 dias por semana;
  • Redução de erros e perdas nas imagens devido à tecnologia AllFrame, que aumenta a confiança na reprodução e visualização das gravações;
  • Garantia de 3 anos pela Intelbras, com troca expressa;
  • Armazenamento de 1, 2, 3, 4, 6, 8, 10, 12, 14 e 18 TB.

 

Inteligência de vídeo: diferencial de gravadores digitais superiores

À medida que a tecnologia avança, os produtos são otimizados. Mesmo os dispositivos mais básicos são periodicamente atualizados para oferecer uma melhor experiência ao usuário.

Na Intelbras, por exemplo, há cinco séries diferentes: 100030005000 e 7000 e 9000. A primeira tem os produtos com melhor custo-benefício, indicados a pequenos projetos. À medida que o número aumenta, mais robustas se tornam as soluções.

inteligência de vídeo é um dos diferenciais de gravadores digitais superiores. Essa tecnologia permite:

  • Criar linhas virtuais: essa função permite controlar a passagem de pessoas ou veículos por um determinado espaço no sentido que se desejar. Num estacionamento, por exemplo, ao programar uma linha sobre a entrada, o sistema irá emitir uma notificação se um veículo sair por ali por engano. Em dispositivos IP, há um refinamento para diferenciar os objetos que serão controlados.
  • Criar cercas virtuais: as cercas virtuais funcionam de forma parecida com as linhas virtuais. Nesse caso, podem ser usadas no estacionamento para controlar uma vaga específica. Quando um veículo ocupá-la, a portaria recebe uma notificação no sistema. Isso é bastante útil para controlar vagas para PCDs ou notificar uma situação de perigo ao definir no condomínio uma vaga de emergência. As cercas virtuais também podem ser usadas para verificar abandono de objetos em locais proibidos.

Além da inteligência de vídeo, alguns produtos contam com duas funções de Inteligência Artificial:

  • Busca forense: pesquisa detalhada nas imagens, como a identificação de pessoas utilizando algum acessório específico ou veículo de determinada cor – se câmeras IPs forem usadas.

Reconhecimento facial: através do banco de imagens armazenado, o dispositivo identifica pessoas com até 98% de assertividade.

 

Conclusão

Agora que você já sabe a importância do gravador digital para o sistema de segurança e monitoramento eletrônico, conheça os melhores DVRs e NVRs do mercado e escolha o que melhor se encaixa ao seu projeto.

 

Fonte:  Blog da Intelbras



Gostou? compartilhe!

Whatsapp Bit 2000 Whatsapp Bit 2000